Síndrome da ardência bucal: o que é e como tratar?

Você já ouviu falar em síndrome da ardência bucal? Essa é uma doença que tem como principal característica a sensação de queimação na língua e nas mucosas, sem nenhum motivo aparente. Em outras palavras, o paciente apresenta uma boca normal, porém, se queixa da sensação de queimação constante.

A síndrome da ardência bucal pode ter várias causas e, no post de hoje, vamos tratar sobre elas e também o tratamento. Não deixe de conferir!

O que é a síndrome da ardência bucal

A síndrome da ardência bucal, como explicamos, é a sensação de queimação constante na língua e nas mucosas, sem nenhum motivo aparente. Muitos pacientes descrevem a doença como “sabe quando você toma uma bebida quente muito rápido e acaba queimando a língua? Porém, a sensação de queimação é frequente”.

Além da sensação de queimação, é comum que o paciente se queixe de boca seca e diminuição do paladar. Na maioria dos casos, o desconforto dos sintomas não é sentido com tanta força pela manhã e vai aumentando ao longo do dia.

Essa síndrome é desencadeada por questões psicológicas, como a depressão e a ansiedade. Mas pode ocorrem em razão de fatores hormonais, diabetes, entre outros.

Em geral, a síndrome da ardência bucal é mais frequente em mulheres na faixa dos cinquenta anos de idade. Mas também pode acometer mulheres mais jovens e homens.

Como a síndrome da ardência bucal não apresenta nenhuma alteração na saliva, é essencial fazer um teste para descartar a hipótese da doença, ou seguir investigando até chegar ao diagnóstico certo.

Causas da síndrome da ardência bucal

A síndrome da ardência bucal pode ter diversas causas, no entanto, comumente ela é associada à quadros de depressão ou ansiedade crônica. Deficiência nutricional, diabetes, lesão nos nervos e menopausa também podem causar a doença. Por fim, a reação a alguns cremes dentais e traumas ocasionados por próteses também podem causar o problema.

Em geral, os pacientes informam os sintomas ao dentista. No entanto, nem sempre o dentista tem condições de tratar o caso. Em situações como estas, o profissional deve encaminhar esses quadros a um estomatologista, que dará continuidade no atendimento e no tratamento.

[Ela também arde e costuma incomodar. Você sabe o que causa as aftas? Confira!]

Tratamento da síndrome da ardência bucal

Como a síndrome é considerada uma doença psicossomática, não existe um único tratamento. Em geral, são sugeridas diversas abordagens que vão desde o uso de medicamentos, até psicoterapia, hipnose entre outras. Tratamentos que utilizam medidas diversas e com uma abordagem multidisciplinar, costumam ter maiores taxas de sucesso. No entanto, é fundamental a aceitação e colaboração do paciente para que o problema seja solucionado. Infelizmente, muitos pacientes não aceitam o quadro de depressão e ansiedade e tendem a resistir na busca por ajuda.

Tomar medidas que aliviem outros sintomas, como por exemplo, beber mais água para aliviar a sensação de boca seca, também são condutas que podem ser realizadas pelo paciente.

Quando diagnosticada, a síndrome da ardência bucal pode ser solucionada rapidamente. Por isso, caso apresente os sintomas não deixe de procurar um profissional o quanto antes.

Você já conhecia a síndrome da ardência bucal? Saiba também o que é a xerostomia e como tratar esse problema. Clique aqui e saiba mais!