Cáries profundas, fraturas ou trincas nos dentes facilitam a penetração de bactérias que podem infeccionar a polpa, tornando necessário o tratamento de canal. Traumas também podem afetar esse tecido, promovendo a degeneração avançada, ou seja, a morte da polpa, fazendo com que o dentista precise removê-la. A polpa do dente é o que causa a sensibilidade, por isso, esse tipo de infecção, além do inchaço e da mudança de coloração dos dentes, pode ser bastante dolorida.

A endodontia é a área da odontologia responsável por tratar doenças e lesões que afetam a polpa dos dentes. Consequentemente, é o ramo que estuda as melhores técnicas para promover o tratamento de canal.

Embora seja um tratamento muito comum na rotina dos consultórios, alguns pacientes temem que se trate e um “tratamento 3D”, ou seja: demorado, difícil e dolorido. Brincadeiras à parte, para tirar todas as dúvidas e também aliviar os medos, separamos um passo a passo do tratamento de canal, para que você entenda a importância de cada fase até a restauração completa do dente lesionado e não fuja do seu dentista!

Saiba como é feito o tratamento de canal

– Primeiro passo: anestesia, abertura da coroa e remoção do tecido

O primeiro passo é remover a polpa. Para isso, o dentista aplica uma anestesia local e com uma broca ele promove uma abertura na coroa do dente para acessar então o tecido pulpar e removê-lo.

As radiografias do dente lesionado servirão para auxiliar o dentista na identificação da polpa inflamada e lesionada e permitirão que o profissional remova apenas o tecido afetado, sem que seja atingida a gengiva e outras partes do dente.

– Segundo passo: limpeza dos canais

Após toda a remoção da polpa, que é feita com uma lima, o dentista inicia o processo de limpeza dos canais. Como a polpa é um tipo de tecido, ela é irrigada por uma série de vasos sanguíneos localizados nos canais. Estes, por sua vez, são raspados, esvaziados e desinfetados totalmente para o preenchimento com um material obturador específico, chamado de cimento odontológico. Antes do preenchimento, o dentista ainda pode solicitar algumas radiografias com o objetivo de averiguar se todo material infectado de fato foi removido.

– Terceiro passo: restauração

Em geral, o tratamento de canal é feito em etapas. Para muitos casos, após a remoção e limpeza, o dentista ainda realiza um intervalo antes de aplicar o material obturador e a restauração definitiva. Essa primeira etapa (remoção e limpeza) serve para selar o dente e também protegê-lo.

Por fim, a coroa é fechada com uma resina própria restaurando completamente o dente. Embora esteticamente o dente seja reconstruído, o paciente perde a sensibilidade pois é justamente na polpa que ficam todos os nervos. Dependendo do número de canais e do grau da infecção, o canal pode ser tratado em uma ou mais consultas. Porém, com o avanço da endodontia o número de consultas e a eficiência dos tratamentos vêm se aprimorando.

Tem dúvidas sobre o tratamento de canal? Então deixe seus comentários abaixo. A DentalPrev conta com planos que podem ajudá-lo a conquistar um sorriso bonito e saudável com uma equipe de profissionais altamente qualificados na odontologia.