causas do bruxismoRanger ou apertar os dentes durante o sono a ponto de acordar com dores de cabeça, ou mesmo na face, pode ser um sinal de bruxismo. Essa desordem funcional pode acarretar o desgaste e até o amolecimento dos dentes. Em casos mais graves, podem ocorrer problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula, a chamada ATM.

Embora o bruxismo seja mais comum em crianças, adultos independentemente do sexo, podem apresentar esse tipo de disfunção. Por se tratar de problema que ocorre durante o sono, muitas vezes o bruxismo é identificado pelo parceiro que ouve estalos e barulhos enquanto o outro dorme. Em geral, quando a pessoa procura assistência médica ou odontológica, os sintomas mais sérios já se instalaram.

Para esclarecer sobre as causas do bruxismo, seus sintomas e tratamentos, fizemos esse post para que você tire todas as suas dúvidas.

Causas e fatores de risco

Dentistas e médicos não sabem precisamente quais as razões que causam o bruxismo. O que se sabe, no entanto, é que ele é mais comum em crianças, afetando 15% delas.

Com o passar dos anos, crianças com um quadro de bruxismo tendem a diminuir o ranger dos dentes, não apresentando os sintomas mais clássicos relativos a essa disfunção.

Em geral, o bruxismo esta ligado à fatores genéticos, situações de estresse, tensão, ansiedade ou problemas físicos de oclusão relacionados ao fechamento inadequado da boca, por exemplo.

O bruxismo pode estar relacionado à outros problemas do sono, como a apneia, por exemplo e pode, também, ser uma resposta a uma dor de ouvido ou dor de dente.

Sintomas do bruxismo

Os sintomas mais comuns para quem tem bruxismo são as dores de cabeça. Dores no pescoço, na mandíbula e nos músculos da face também aparecem, principalmente quando o problema ainda não se agravou muito.

O desgaste e o amolecimento dos dentes podem ocorrer quando o quadro se agrava. Além disso, a pessoa pode apresentar estalos ao abrir e fechar a boca e alterações do sono.

Em geral, os sintomas do bruxismo não se manifestam sempre e nem com a mesma intensidade. Diante de situações estressantes, por exemplo, é comum que o problema se agrave. A frequência e a intensidade das crises, portanto, podem ser alteradas de uma noite para outra.

Tratamento

Antes de iniciar um tratamento, é preciso ter um diagnóstico preciso. Assim, recomenda-se fazer uma avaliação clínica junto ao seu dentista, bem como, realizar uma polissonografia, um exame que ajuda a identificar o grau do bruxismo.

Infelizmente, não existe um tratamento eficaz para curar essa disfunção. Em geral, os tratamentos existentes visam reduzir a dor e evitar danos aos dentes, reduzindo o ranger ao máximo. Após o diagnósticos, muitos destes tratamentos podem ser feitos sem sair de casa.

Em alguns casos, a administração de ansiolíticos pode ajudar a diminuir o estresse e a ansiedade e consequentemente o bruxismo.

Porém, para a maioria dos casos, o tratamento é o uso de placas interoclusais, que podem ser flexíveis feitas com silicone, ou rígidas, feitas com acrílico. Essas placas são moldadas de acordo com a boca do paciente e ajudam a restringir os músculos mastigatórios, reduzindo o atrito causado pelo ranger dos dentes.

Gostou desse post? Quer saber mais sobre o bruxismo e sobre outras disfunções que afetam os dentes? Então siga acompanhando nosso blog. A Dentalprev oferece soluções para diversos problemas que envolvem a saúde bucal. Consulte nossos atendentes e saiba como um plano odontológico pode cobrir todas as suas necessidades.