Herpes labial, o que pode causar?

Herpes labial na maioria das vezes é causado pelo vírus HSV-1, mas também pode ser pelo HSV-2. Esse contágio ocorre pelo contato direto com pessoas infectadas ou suas secreções. Logo após a infecção, as lesões podem ser desencadeadas por quedas na imunidade, estresse ou ingestão de alguns alimentos.

Algumas pessoas já são portadoras do vírus, mas não manifestam sintomas. Assim é possível que o agente infeccioso pode ficar na maioria das vezes inativo no organismo por um longo período.

E quando algum fator desperta esse vírus ela pode aparecer a herpes simples, as feridas ocorrem na região dos lábios, boca e até garganta.

Transmissão

A transmissão deste vírus da herpes simples ocorre de algumas maneiras, pelo contato direto com a pessoa infectada ou com a saliva dela. Tocar, beijar, fazer sexo sem proteção, compartilhar copos e talheres são formas de contrair o agente infeccioso.

Esse vírus tem um contágio muito maior quando o paciente apresenta lesões visíveis, chegando a aumentar 1000 vezes.

É bem possível que mesmo quando o paciente não esteja em crises da doença (apresentando lesões aparentes), o vírus ainda possa ser transmitido — apesar desta possibilidade ser mínima.

Entre as situações mais recorrentes de transmissão estão:

  • Relações sexuais sem proteção (sexo oral);
  • Beijo;
  • Contato com a pele lesionada;
  • Compartilhamento de talheres, escovas de dente ou objetivos íntimos;
  • Contato com gotículas de saliva.

Em mulheres grávidas o vírus pode ser transmitido, HSV-1 ou HSV-2 durante a gestação ou no parto, se a criança entrar em contato com uma ferida.

Sintomas

Começam com umas feridas e bolhas na região dos lábios, os sintomas mais característicos do herpes simples, recebendo o nome de gengivoestomatite herpética.

Na média, 20% dos pacientes hoje apresenta manifestações logo que é infectado, sendo que, nesses casos, a intensidade dos sintomas tende a ser muito maior. Com isso, nas próximas manifestações clínicas, as lesões provavelmente serão menos doloridas e ardidas ou menores.

Nos pacientes que já apresentam sintomas após a infecção, podem manifestar alguns sinais como: quadros de febre, mal-estar, redução do apetite, dores de garganta e aumento dos linfonodos (ínguas) no pescoço.

Nas feridas do herpes simples são caracterizadas por pápulas que evoluem para bolhas cheias de um líquido seroso (resultado do processo inflamatório). É muito Importante cuidar quando essas lesões possuem até 3mm que são consideradas vesículas, mas acima disso são denominadas de bolhas.

Essas lesões podem ainda surgir em diferentes quantidades, mas geralmente as vesículas surgem de forma agrupada e concentrada. As feridas costumam doer, arder, queimar e coçar, sobretudo quando a pessoa fala ou come.

Hoje geralmente nos primeiros dias do aparecimento das bolhas que a dor e a coceira são maiores. Podem ocorrer inchaços, leves sangramentos e incômodo constante para mexer a boca, devido à sensibilidade.

É possível que os gânglios do pescoço fiquem inchados e doloridos, além de surgir pequenas úlceras acinzentadas no fundo da garganta (amígdalas).